Catedral de Brasília
Palavra do Pastor

XXXI Domingo do Tempo Comum

A Conversão de Zaqueu

30/10/2016

+ Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília

O encontro de Zaqueu com Jesus transforma a sua vida (Lc 19,1-10). Ele era o responsável pela coleta de impostos para os romanos, na cidade de Jericó. Por isso, era considerado desonesto, traidor e pecador público. No entanto, ele “procurava ver”  Jesus, mas não conseguia.  O seu desejo e o seu esforço foram tão grandes que ele chegou a correr e a subir numa árvore, atitude que não era comum para um adulto.

Na verdade, foi Jesus quem viu Zaqueu e o chamou pelo nome.  Descer “depressa” da figueira, como ordenou Jesus, implicava em deixar para trás a vida que ele estava levando. Zaqueu atende a palavra de Jesus, deixando “depressa” a situação em que se encontrava e recebendo-o  em sua casa. Ao deixar os que o acompanhavam para entrar na casa de Zaqueu, Jesus se revela como o pastor que deixa as noventa e nove ovelhas para sair ao encontro daquela que estava perdida.

A conversão de Zaqueu é sincera. Ele manifesta o seu arrependimento e uma nova vida reparando o que havia roubado e repartindo os seus bens com os pobres. O encontro com Jesus traz vida nova; leva  sempre a um processo de conversão. No entanto, os que acompanhavam Jesus não foram capazes de aceitar o seu gesto misericordioso. Passaram a murmurar, criticando-o por “hospedar-se na casa de um pecador”.

Zaqueu representa o pecador que está procurando encontrar Jesus, em busca de uma nova vida. Ele representa todos os que acolhem Jesus em sua casa, dispondo-se a trilhar um caminho de conversão. É feliz quem assume a condição do Zaqueu que sobe na árvore para ver Jesus e que abre a porta para ele entrar. Triste é permanecer no pecado que destrói a própria vida e a vida dos outros. O Evangelho nos traz a certeza de que Deus nos ama primeiro; o seu olhar misericordioso precede o nosso olhar para ele; a sua palavra nos chamando pelo nome vem primeiro.

Esta passagem do Evangelho nos alerta para não cair na atitude condenatória das pessoas que impediam Zaqueu de chegar a Jesus e começar uma vida nova. Neste Ano da Misericórdia, somos chamados a acolher a misericórdia de Deus e a sermos misericordiosos com os irmãos que erram, ajudando-os a recomeçar a vida. Para isso, não pode faltar o encontro com Jesus, permitindo que o seu amor e a sua Palavra entrem na casa que é a própria vida.

São muitos os lugares e os momentos em que podemos encontrar e acolher Jesus, especialmente a celebração eucarística, a leitura orante da Bíblia, a adoração ao Santíssimo Sacramento, o sacramento da Reconciliação e a oração pessoal diária. Há muita gente que necessita ver Jesus e começar uma vida nova. Procuremos ajudá-los a encontrar e a acolher Jesus!  Para isso, procuremos também assumir a nossa condição de Zaqueu necessitado de misericórdia e conversão! 

Imprimir Subir Voltar

 Fale Conosco Contatos Webmail Twitter GooglePlus Facebook Flickr Youtube
© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados. Voltar a Home