Catedral de Brasília
Notícias

Ano Nacional do Laicato é inaugurado oficialmente na Arquidiocese de Brasília

27/11/2017 18:00

 

O Ano Nacional do Laicato na Arquidiocese de Brasília foi aberto oficialmente na manhã deste domingo, 26/11, durante Santa Missa presidida pelo cardeal Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida.

Durante esta Santa Eucaristia, onde celebramos a Solenidade de Cristo Reio do Universo, comemoramos também o Dia do Leigo, os 38 anos do Movimento Segue-Me e o encerramento do Curso de LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais - oferecido pela Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (FENEIS) em parceria com o Instituto Nossa Senhora do Brasil (INOSEB).

A Missa foi concelebra pelo vigário da paróquia N. Sra. da Consolata, padre Ghibaudo Orestes, IMC, da Pastoral dos Surdos, pelo pároco da Catedral, Pe. João Firmino e outros padres de paróquias de nossa Arquidiocese.

Iniciado neste domingo, com o tema “Cristãos Leigos e Leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino” e o lema “Sal da Terra e Luz do Mundo”, o ano dedicado aos leigos se estenderá até o dia 25 de novembro de 2018, com o objetivo de aprofundar a identidade, vocação, espiritualidade e missão do leigo e leiga na Igreja, e testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade.

O Ano Nacional do Laicato foi instituído pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e motivado pelo Conselho Nacional do Laicato no Brasil (CNLB), em resposta a um pedido do Santo Padre, o Papa Francisco: fazer crescer “a consciência da identidade e da missão dos leigos na Igreja”.

Em consonância ao que pede o Papa Francisco, durante a homilia, dom Sergio destacou a necessidade da evangelização e o testemunho dos fiéis leigos e leigas nos diversos campos da vida social, a fim de serem ‘sal da terra’ e ‘luz do mundo’, numa 'Igreja em saída’.

“Neste dia, os fieis são convidados a renovarem o compromisso assumido com batismo, de evangelizar e aprofundar a reflexão sobre a missão e o ministério dos leigos e atender a convocação para o trabalho na messe do Senhor, construindo o Reino de paz e de justiça. É importante que você, leigo e leiga, ajude-nos a espalhar o evangelho, que seja presença da Igreja nos diversos campos da sociedade, na vida política, no mundo do trabalho, na cultura, na universidade, cultura, na escola, nos hospitais, nos meios de comunicação, entre os mais pobres, nos centros urbanos”, disse o cardeal, que, em seguida, convocou todos a trabalharem na construção de uma Igreja Missionária.

“Nós precisamos que vocês, leigos e leigas, ajudem-nos para que a nossa Igreja seja missionária, aquela Igreja em saída, como o Papa Francisco tanto tem ressaltado. E para que a Igreja seja a Igreja que vai ao encontro das pessoas nos diversos ambientes, nas diversas situações da sociedade, a Igreja precisa de vocês, leigos e leigas, para serem sal da terra e luz do mundo”.

De acordo com o cardeal Sergio, o Ano do Laicato é o momento propício para a aproximação e o engajamento dos leigos no serviço de Deus, favorecendo a valorização e o protagonismo dos leigos na pastoral da Igreja. Dom Sergio afirmou também que a partir deste ano, os leigos terão mais espaço e apoio para participar e servir na Igreja.

“E nós queremos nesse Ano do Laicato, que começa hoje em todo o Brasil, valorizar mais os fieis leigos e leigas e dar o devido espaço para a participação dos leigos na vida de nossas comunidades, na vida da Igreja.  Queremos apoiar mais os nossos leigos e contar ainda mais com a presença de todos vocês, com as orações de vocês, com as participações de vocês nas celebrações, nas atividades da Igreja, nas pastorais, nos movimentos e nos serviços", disse.

Para dom Sergio é fundamental a ação de abrir espaço para os leigos, porque eles são membros ativos nas comunidades, colaborando diretamente com os padres e bispos, para a edificação do Reino de Deus. E como são em grande quantidade, na maioria das vezes, os leigos conseguem chegar e podem evangelizar em lugares e ambientes onde bispos, padres e religiosos não podem chegar.

“A Igreja conta, de um modo especial, sobretudo nos dias de hoje, com os fieis leigos e leigas para a realização de atividades pastorais. Veja nessa celebração, alguns, que aqui estão, tiverem a graça de receber a vocação para o sacerdócio, para o ministério  diaconal, porém somos pouco, a maioria absoluta do povo de Deus é formada pelo laicato, ou seja, pelos fieis  leigos e leigas. Que bonito que a Igreja chama de fieis. Fieis por que? Porque são fieis a Cristo, são fieis a Igreja”, enfatizou.  

Para concluir, dom Sergio da Rocha destacou a importância do apostolado dos leigos e a valorosa missão deles, na atuação em pastorais, movimentos e serviços, para alcançar a 'Igreja em Saída' e, assim, na manutenção da Igreja de Cristo.

“Enfim, precisamos de vocês para fazer o que Jesus nos pede no evangelho de hoje, (Mt 25,31-46) para servir aqueles que mais sofrem, que precisam da solidariedade, da esperança, da caridade, da partilha e de cada um de nós.   É muito importante o que você pode fazer na Igreja, na sociedade como cristão, sendo sal da terra, luz do mundo, fazendo isso espontaneamente, contando sempre com a Graça de Deus, e na comunhão da Igreja, mas é igualmente importante a presença comunitária, organizada, nesses diversos ambientes. Por isso, a importância do Movimento Segue-Me, que nos ajudam a evangelizar o jovens. E de outros movimentos que nos ajudam a evangelizar casais, famílias, juventude, pobres. Por isso é tão importante as Pastorais, como a Pastoral dos Surdos, que nos ajudam a dar uma atenção especiais a esses nossos irmãos. Ajudem-nos a promover o ano do Laicato, ajudando outros irmãos a fazerem o mesmo nos ambientes em que vivem e naqueles que eles podem alcançar”, finalizou o cardeal.

Vale destacar que a abertura do Ano do Laicato ocorreu neste domingo em todas as dioceses, arquidioceses e paróquias do Brasil, mas a abertura pela presidência da CNBB em Rede Nacional será apenas no dia 28 de novembro, próxima terça-feira.

Segundo a presidente do Conselho Nacional do Laicato no Brasil e integrante da Comissão, Marilza Lopes Schuina, as Dioceses estão recebendo uma proposta a partir da qual, recomenda, tenham toda a liberdade para usar a criatividade ao planejar e vivenciar as ações locais ao longo deste ano.

Algumas paróquias também realizaram, neste domingo, missas pelo início do Ano do Laicato, como é o caso da paróquia São Sebastião no Gama, que realizou Santa Missa, às 18h, pelo evento.

Para auxiliar na elaboração de atividades, a Comissão Especial para o Ano do Laicato preparou alguns subsídios que contém orientações metodológicas para as comunidades. Um deles é composto por orientações para os grupos de reflexões e o outro por propostas de celebração.

 “A partir do material que estamos produzindo, vamos aprendendo sobre qual é o nosso papel dentro da Igreja, dentro do mundo em que vivemos e também vamos passando isso para as pessoas que estão à nossa volta e as pessoas com as quais convivemos”, afirmou a organização.

Além dos roteiros para as comunidades, a Comissão disponibilizou também o cartaz oficial do Ano do Laicato, além de banners. Os materiais podem ser adquiridos no site das Edições CNBB: no link: http://bit.ly/2B9u0k0.

Também já está disponível o Hino para o Ano do Laicato. Assista o Vídeo abaixo:

Hino para o Ano do Laicato:

 

 

Dia do Leigo

Em ocasião da Solenidade de Cristo Rei do Universo, a Igreja do Brasil comemorarou também o Dia Nacional dos Cristãos Leigos.

A data é celebrada, assim como o Dia de Cristo Reio do Universo, no último domingo do ano litúrgico, marcando o encerramento do Ano Litúrgico, como foi estabelecido pela Assembleia Geral do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), em 1991, com o intuito de recuperar a memória e a importância da Ação Católica para a Igreja e o laicato brasileiro.

Neste dia, somos convidados a aprofundar a reflexão sobre a missão e o ministério dos leigos e atender a convocação para o trabalho na messe do Senhor, construindo o Reino de paz e de justiça, com enfatizou o arcebispo de Brasília, dom Sergio da Rocha.

“Os cristãos leigos e leigas são chamados a serem ‘sal’ e ‘luz’, vivendo e testemunhando a fé em Cristo nos diversos ambientes da sociedade, na família, no mundo do trabalho, nas escolas, na política, na economia, nos meios de comunicação e nas redes sociais, dentre tantos outros.  É muito importante a participação dos cristãos leigos e leigas na vida da Igreja, atuando nas pastorais, movimentos eclesiais, serviços e conselhos paroquiais. Ao mesmo tempo, se  faz cada vez mais necessário o testemunho dos fiéis leigos e leigas nos diversos campos da vida social, a fim de serem ‘sal da terra’ e ‘luz do mundo’, numa 'Igreja em saída’, como tem insistido o Papa Francisco”, concluiu o cardeal. 

Para despertar, nos leigos, o compromisso evangelizador e a responsabilidade pela sustentação das atividades pastorais no Brasil foi criada a Campanha de Evangelização (CE), em 1997, durante a Assembleia Geral da CNBB.

Com o slogan “Evangeli.Já”, referindo-se à palavra evangelizar, a campanha exprime a urgência da evangelização, e trabalha na mobilização dos católicos, a fim de que assumam a responsabilidade na sustentação das atividades pastorais da Igreja. 

“A Campanha para Evangelização é uma experiência que instiga a comunhão e partilha dos bens entre as Igrejas particulares, assim como acontecia nas comunidades primitivas do Novo Testamento, cujo relato encontramos nos Atos dos Apóstolos e nas cartas paulinas”, explicou o secretário executivo da CE, padre Luís Fernando da Silva.

O lançamento desta campanha em todas as (Arqui)Dioceses do Brasil, ocorrerá neste domingo, 26/11, estendendo-se até o terceiro domingo do Advento, 17/12, com o tema: “Cristãos leigos e leigas comprometidos com a Evangelização” e o lema “Sal da Terra e Luz do Mundo” (Mt 5, 13-14), em sintonia com o Ano Nacional do Laicato, que terá início no mesmo dia da Campanha.

O gesto concreto da Campanha para a Evangelização é a Coleta Nacional, que será realizada no 3º Domingo do Advento, 17/12, em todas as missas e celebrações em todas as paróquias, capelas ou instituições e templos católico.

“A Igreja no Brasil mais uma vez faz um forte apelo para que nossas comunidades locais se motivem na comunhão e na participação para que, por meio dessa partilha, muitas iniciativas de evangelização sejam fortalecidas em todo o país”, disse Pe. Luís Fernando.

A distribuição dos recursos é feita da seguinte forma: 45% permanecem na própria diocese; 20% são encaminhados para os regionais da CNBB; e os demais 35%, para a CNBB Nacional.

Não deixe de participar!

 

 

Memória: Trinta anos do Sínodo Ordinário sobre os Leigos   e da Exortação Apostólica Christifideles Laici

Durante o Ano do Laicato também será comemorado os 30 anos do Sínodo Ordinário sobre os Leigos (1987) e da Exortação Apostólica Christifideles Laici, de São João Paulo II, sobre a vocação e a missão dos leigos na Igreja e no mundo (1988).

A comemoração terá como eixo central a presença e a atuação dos cristãos leigos como ‘ramos, sal, luz e fermento’ na Igreja e na sociedade.

“Um ano que se nós pudéssemos trabalhar a expressão do acolhimento, acolher todas as pessoas e fazer com que nesse acolhimento façamos o exercício do cuidado”, disse dom Severino Clasen, presidente da Comissão para o Laicato da CNBB e bispo de Caçador (SC).

 

 

Igreja celebra Solenidade de Cristo Rei

A Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, neste ano, foi celebrada no dia 26 de novembro, último domingo do ano litúrgico “A”.

A data foi instituída pelo Papa Pio XI, no ano de 1925, em um período pós-guerra, onde eram comum o ateísmo e as perseguições religiosas.

Nessa festividade, os cristãos são chamados a reconhecerem a singularidade, a glória e a soberania de Deus sobre tudo e todos, como enfatiza passagem no livro de apocalipse (Ap 1,8), “Eu sou o Alfa e o Ômega, Princípio e Fim de todas as coisas”. Além disso, os fieis também são convidados a renovarem o compromisso assumido com batismo, de evangelizar, levando o nome de Deus aos quatro cantos do mundo.

O cardeal Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, explica que com todo poder e com um império grandioso, Jesus é um Rei diferente dos reis deste mundo e o seu Reino não se confunde com os reinos que temos visto na história.

“Conforme o Evangelho proclamado (Mt 25,31-46), o Senhor e Rei do Universo quer ser amado e servido nos irmãos mais pobres e sofredores, representados pelos que passam fome e sede, pelos que não tem o que vestir-se, pelos enfermos, pelos migrantes e encarcerados. Jesus é um Rei que se faz servo, lavando os pés, amando os pequenos e doando a sua vida na cruz. O seu Reino, que suplicamos ao Pai, ao rezar como ele nos ensinou, é um Reino de amor, de justiça e de paz”, afirmou dom Sergio.

 

 

Informações:
Conselho Nacional do Laicato do Brasil
Site: http://www.cnlb.org.br/

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil
Site: http://cnbb.net.br/

 

 

 

Leia mais: 

Abertura oficial do Ano Nacional do Laicato acontece neste domingo na Catedral

 
 
 
 
 
 
 

Por Gislene Ribeiro / Fotos: Segue-me Brasília

Imprimir Subir Voltar

 Fale Conosco Contatos Webmail Twitter GooglePlus Facebook Flickr Youtube
© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados. Voltar a Home