Catedral de Brasília
Notícias

VI Assembleia Arquidiocesana define prioridades pastorais

20/06/2016 17:25

Depois de uma longa programação com debates e votações, os participantes da VI Assembleia Arquidiocesana de Pastorais definiram as prioridades para ação eclesial no Distrito Federal no último sábado, 18 de junho.

As prioridades escolhidas por leigos, delegados do Conselho Pastoral, seminaristas, religiosos, diáconos e todo o clero vão nortear a produção e execução do Plano Pastoral Arquidiocesano 2016 - 2019.

As prioridades são as seguintes:

Urgência 1- Igreja em estado permanente de missão

a) Realizar formação missionária dos integrantes das pastorais, inclusive da doutrina social da Igreja, com identificação de pessoas para executarem a missão de evangelização na comunidade paroquial e fora dela, contemplando as famílias afastadas (porta a porta) dentro de suas realidades espirituais e sociais, para lhes comunicar e compartilhar o dom da fé, no encontro com Jesus Cristo.

b) Promover a formação intensiva e continuada das pastorais, inclusive em nível de setor, com ênfase nas pastorais da juventude, familiar, de comunicação, carcerária, moradores de rua, de modo a valorizar a cultura do respeito e do encontro com o próximo.

Urgência 2 – Igreja: Casa de iniciação à vida cristã

a) Promover a formação contínua dos catequistas, em número suficiente, no processo de iniciação à vida cristã e atentos à Doutrina Social da Igreja, incluindo a vida da Igreja e na paróquia, que conduza ao encontro pessoal com Jesus Cristo. Assegurar estreita relação bíblia, catequese e liturgia na formação dos cristãos, levando-se em conta as realidades locais, no âmbito cultural, eclesial e dos ritos das celebrações.

b) Fortalecer o cumprimento do Diretório de Iniciação Cristã nas paróquias, por meio de encontros de formação para a administração dos sacramentos, de forma continuada e não segmentada, numa perspectiva catecumenal.

Urgência 3 – Igreja: Lugar de animação bíblica da vida e da pastoral

a) Apoiar e investir nos grupos de famílias, círculos bíblicos e pequenas comunidades, que se reúnem para a meditação e vivência da Palavra, em estreita relação com a realidade das pessoas e com o meio em que vivem. As paróquias e comunidades ofereçam aos fieis oportunidades para retiros espirituais fundamentados na Palavra de Deus, criando e cultivando nos católicos uma mística e espiritualidade bíblica.

b) Realizar retiros espirituais que favoreçam o contato com a Palavra de Deus, com orientação querigmática e adaptados às diversas faixas etárias. Aproveitar estes momentos para a formação moral dos jovens, tratando de temas como castidade, drogas, álcool etc. Promover a preparação remota para o matrimônio, seja na catequese, nos encontros de namorados. Para preparação próxima do matrimônio, melhorar o curso de noivos. Acompanhar casais jovens, ajudando-os a amadurecer na vida conjugal.

Urgência 4 – Igreja: Comunidade de comunidades

a) Buscar uma maior integração entre as pastorais, movimentos e serviços, seja em nível paroquial, setorial, vicarial e arquidiocesano. O fomento pode ser realizado por encontros setoriais, feiras pastorais para divulgação, partilha das experiências etc. Elaborar um banco de dados ou cadastro único das pastorais, buscando maior facilidade de interação entre paróquias; aumentar a comunicação ativa entre as paróquias.

b) Estabelecer e manter pequenas comunidades em família. Setorização das paróquias em pequenas comunidades, integrar círculos bíblicos, novenas de Natal e da Campanha da Fraternidade, cenáculos, terços dos condomínios buscando a criação de vínculos. Preparar agentes de pastoral para liderar pequenas comunidades e realizar ações como celebração da palavra nas casas, missas, manhãs de evangelização etc.

Urgência 5 – Igreja a serviço da vida plena para todos

a) Acompanhar as famílias atendidas pelas pastorais sociais. Visitar e acompanhar os casais recém-casados. Mapear situações de exclusão social nas paróquias e buscar atender as necessidades das pessoas principalmente as que estão próximas de nós, tais como homossexuais, deficientes físicos, viúvas, órfãos etc.

b) Promover na Arquidiocese o ensino da Doutrina Social da Igreja, a conscientização da dignidade da pessoa humana e a cidadania.

O Plano com as urgências e prioridades será produzido pela Comissão Pastoral, presidida por dom Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília, e integrada por padre Euclides Gonçalves (coordenador de Pastoral), Hélio José (assessor de Pastoral), Fernanda Alcântara (secretária de Pastoral) e os coordenadores dos setores pastorais Vida e Família, Litúrgico, Comunicação, Catequese, Juventude, Movimentos Eclesiais, Vocacional Missionário e Social.

O Plano tem previsão de entrega para agosto deste ano.

Mudanças de vigários episcopais

Durante a Assembleia também foi anunciada a nova composição da liderança de vicariato episcopal territorial. Saem e entram nos quatro vicariatos arquidiocesanos os seguintes sacerdotes:

Vicariato Centro

Sai o padre Eduardo Peters, atual reitor do Seminário Nossa Senhora de Fátima (Lago Sul), e entra o padre Júlio Cesar, do Santuário Santíssimo Santíssimo Sacramento (L2 Sul).

Vicariato Norte

Sai o padre Jeová Elias, da paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima (Sobradinho), e entra o padre Cristiano Soares, da paróquia Divino Espirito Santo (Asa Norte).

Vicariato Leste

Sai o padre Euclides Gonçalves, da paróquia Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos (Gama), e entra o padre Giovani Carlos, da paróquia São Miguel Arcanjo (Recanto das Emas).   

O padre Euclides ainda assumiu, com os trabalhos da Assembleia, a coordenação da Comissão Pastoral Arquidiocesana. 

Vicariato Sul

Permanece o padre Antônio Carlos, da paróquia São José (Taguatinga). 

Evangelização

A VI Assembleia Arquidiocesana terminou com a celebração da Santa Missa, presidida por dom Sergio. Ainda concelebraram os quatro bispos auxiliares de Brasília e padres participantes da Assembleia.

Na homilia, o arcebispo agradeceu aos trabalhos de todos que contribuíram para a realização do evento e frisou a necessidade da ação evangelizadora da Igreja:

“Não é só dentro da Igreja que vivemos a fé, mas a serviço da vida, da caridade, da paz. Nós temos nestas cinco grandes urgências um grande resumo daquilo que queremos vivenciar cada vez mais: a fé que queremos transmitir a partir da ação missionária, levando as pessoas a participarem da Igreja como comunidade das comunidades. A fé transborda e vai além dos muros das paróquias e movimentos”.

 

Veja aqui as fotos da Assembleia (créditos de Pedro Bezerra).

 

Por Lilian da Paz

 

Imprimir Subir Voltar

 Fale Conosco Contatos Webmail Twitter GooglePlus Facebook Flickr Youtube
© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados. Voltar a Home